2
 fev
Comportamento, Do chapéu, Gente, TV
Amor ao Chapéu

Mas que beijo gay que nada. Na modesta opinião do Meu Chapéu, que chora até em comercial de margarina sem sal, o ponto alto do final da aguada novela da Globo foi mesmo o Panamá elegantemente portado por Antônio Fagundes. Com aba nem muito larga nem muito curta,  o belo chapelão deu dignidade à cara redonda de bacia do Fagundes, e roubou a cena açucarada entre pai e filho (segundo meu amigo cinéfilo Marcos Petrucelli, uma citação ao filme Morte em Veneza). O resto foi uma repetição de fórmulas e velhos truques tirados da gaveta dos produtores da Globo, para garantir os famigerados pontinhos de audiência cada vez mais escassos.

Chapéu Panamá brilha no final de Amor à Vida.

Chapéu Panamá brilha no final de Amor à Vida.
Postado por Lee Swain às 8:42 | 1 comentário
31
 dez
Atualidades, Datas, Do chapéu, São Paulo
Um ano de tirar o fôlego. E o Chapéu.

Mensagem 2014

O ano acabou? É sempre assim, quando a gente vê, já está no fim. Até parece gravação: “nossa, como este ano passou rápido…”
Mas se 2013 não foi uma exceção, vai deixar marcas indeleveis na história deste país. E a mais forte veio das ruas, que nunca tinham visto tamanha movimentação desde sua descoberta.

Tudo começou com a discussão da bagatela de R$ 0,20 centavos de aumento na tarifa dos ônibus, e não parou mais. O que parecia mais um movimento com conotações classistas, acabou contagiando praticamente toda as camadas sociais, e no final flertou com a baderna insuflada por mascarados sem causa. Mas nem os arruaceiros conseguiram calar o que estava entalado na garganta de todo um país que queria gritar contra os desmandos de uma das classes políticas mais corruptas do planeta. Por isso o Meu Chapéu escolheu como imagem mais emblemática do ano o cartaz erguido na marcha da qual participou em 17 de junho, em São Paulo, que partiu do Largo da Batata e chegou até a ponte Estaiada. Que este grito tenha eco em 2014, 2015, 2016…

Postado por Lee Swain às 14:29 | Nenhum comentário
24
 dez
Datas
Tá chegando…

Meu Chapéu promete entrar 2014 com as baterias recarregadas pelo “dolce far niente” de um 2013 sabático, em que produziu apenas alguns míseros posts. Uma verdadeira vagabundagem. Nestes meses de retiro espiritual, o público do Meu Chapéu permaneceu fiel, e o blog continuou recebendo uma média de 500 visitas diárias. O que anima muito o editor deste hebdomadário virtual a prosseguir mais um ano perturbando a paz que reina nas redes sociais com suas abas largas. Agora é esperar para ver se o Chapéu mostra serviço mesmo ou se são apenas promessas de ano novo.

Postado por Lee Swain às 13:34 | Nenhum comentário
19
 jun
Frase do dia
Chapéu do pensamento

Multidão chamando em coro as luluzetes que assistiam à manifestação protegidas pela vitrine do Shopping JK.

Postado por Lee Swain às 19:43 | Nenhum comentário
19
 jun
Atualidades, Cidade, Comportamento, Política
Meu Chapéu me acordou

Bombas, tiros, sirenes, gritos nas ruas. Meu Chapéu foi acordado de sua longa hibernação invernal em uma quinta feira, com uma ensurdecedora barulheira que terminou em grossa pancadaria na Av. Paulista e repercutiu mundo afora.

Mas que gritaria é esta, meu Deus? Algum levante? Uma revolução? Uma perseguição policial? Expliquei ao Meu assustado Chapéu que se tratava de um pouco de tudo, e tentei acalmá-lo, dizendo que era apenas uma reivindicação popular contra o aumento das tarifas do transporte público. Coisa pequena, questão de centavos.

Enquanto descrevia a situação, Meu Chapéu via as cenas das manifestações da quinta feira negra na TV, e não parava de perguntar: mas porque aqueles policiais estão avançando sobre o povo? -”Eles estão xingando a mãe deles?” Disse que não, que provávelmente estavam cumprindo ordens superiores. -”Mas quem seriam estes superiores?” Quis saber ele. Disse que eram dirigentes políticos. -”Políticos? Mas não foram eleitos por este mesmo povo?” Sim, sim… Meu Chapéu sempre com suas perguntas óbvias.

Segunda feira. Uma multidão descia em direção ao Largo da Batata para uma nova manifestação. Muita gente amedrontada nos escritórios e nas casa, dentro dos seus carros, lembrando as cenas violentas da semana anterior. Apesar disto, a avenida parecia um rio que estivesse se formando, e engrossando com os afluentes despejando gente e mais gente de cada travessa.

-“Quero ir também, disse Meu Chapéu.” Mas é perigoso, argumentei. Tem vândalos infiltrados, a polícia pode  cometer abusos, risco de gás lacrimogêneo, spray de pimenta. Melhor assistir da TV. Tem helicópteros cobrindo, a gente fica aqui tranquilos, esperando a coisa acabar.

Meu Chapéu foi inflexível: -”Quero ir para a rua. Ou me leva, ou me coloca em outra cabeça.” Diante do ultimato, não tive escolha. Chapéu na cabeça, lá fui eu com um grupo de amigos acompanhar a manifestação. Nos primeiros momentos, apreensão e expectativa de um ataque iminente de bombas apimentadas e cassetetes. Mas era tanta gente que se juntava, que a cada minuto aumentava a percepção de segurança entre a multidão pacífica, formada de gente comum, mães, filhos, jovens, donas de casa, funcionários, estudantes. Gente como a gente. Meu Chapéu, curiosíssimo, registrava cada movimento, cada cartaz, cada grito de ordem. Polícia não se via em lugar nenhum. E o povo não parava de cantar: “Coincidência, não tem polícia, não tem violência!!!”

Os 8 km entre o Largo da Batata e a Ponte Estaiada transcorreram sem nenhum incidente, com pessoas que se entreolhavam, impressionadas com a força que de repente acabavam de perceber que tinham. O Brasil acabava de se descobrir, em plena avenida. E não era Copa do Mundo.

Mesmo do alto da minha cabeça, Meu Chapéu não conseguia enxergar nem o começo ou o fim da manifestação. Um mar de gente. Não dava pra ver onde a rua encontrava a calçada. Depois de quase 5 horas de caminhada, exaustos mas contentes, fomos tomados pela sensação de viver uma experiência democrática única, com direito a gritar a plenos pulmões contra todos os usos e abusos dos nossos corruptos políticos, da nossa facciosa imprensa, sem medo de nada, anestesiados pelo poder que a multidão nos conferia.

Voltando de trem para casa, junto com todos os que estavam na manifestação, ouvi Meu Chapéu sussurrar: -“Foi bom pra você?” Sorri de canto de boca, e pensei que não fôra Meu Chapéu, a experiência de ter participado desta caminhada histórica teria se reduzido apenas a assistir a manifestação narrada por um repórter de um telejornal qualquer, afundado no meu sofá. Obrigado, Meu Chapéu, por me tirar da zona de conforto e me fazer testemunhar um novo Brasil nascendo.

Postado por Lee Swain às 14:50 | 4 comentários
19
 jun
Amigos
Amigos unidos, jamais serão vencidos

Adriana Marmo, Eu, Meu Chapéu, Juliana Lira e Tiago Carvalho, na tomada da Ponte Estaiada, na última segunda feira.

Postado por Lee Swain às 14:49 | 1 comentário
19
 jun
Face Book, Gente
Do facebook da Adriana Marmo

Postado por Lee Swain às 14:48 | 1 comentário
6
 mai
Frase do dia
Chapéu do pensamento

Postado por Lee Swain às 2:29 | Nenhum comentário
6
 mai
Futebol
Sorry, sorry…


Desculpa o mau jeito, sãopaulinos, mas a vida é assim. Às vezes você corre, corre, e acaba se adiantando mais do que devia.

Postado por Lee Swain às 2:24 | 1 comentário
6
 mai
Cinema, Comportamento
A Legião vai ao cinema

Fui levar Meu Chapéu à pré-estréia de “Somos tão Jovens”, filme sobre a vida de Renato Manfredini Jr. e sua transformação em Renato Russo, líder da Legião Urbana, a mítica banda nascida nas quadras de Brasília no limiar dos anos 80.

Meu Chapéu, que pertence à geração Y, pouco sabe sobre este período de transição da história brasileira. Da Legião Urbana conhecia apenas tres ou quatro hits: Eduardo e Mônica, óbviamente, Geração Coca Cola, Que país é este e nada mais. Culpa minha, que sempre achei muito repetitivas e melancólicas as batidinhas da Legião, e nunca comprei um CD sequer da banda. Mais recentemente comecei a reconhecer o valor da poesia do filho de funcionário público que acabou criando proféticamente uma verdadeira legião de seguidores fiéis. O cara era bom, resistiu ao tempo, tenho que reconhecer.

E o filme? Na opinião do Meu Chapéu, ajudou a entender o personagem, mas ficou devendo como cinema. Apesar da ótima interpretação de Thiago Mendonça, que encarna o personagem com impressionante semelhança, o filme sofre daquele mal crônico do cinema brasileiro de entregar a câmera logo na primeira cena. O filme abre com o protagonista pedalando sua bicicleta, olhando para o infinito e ostentando um sorriso de comercial de pasta de dente. Quem é que pedala sorrindo para o nada? Só faltou aparecer o microfone na cena.

Dentre as últimas produções biográficas de músicos (Cazuza, Raul Seixas, Filhos de Francisco, Gonzaga) é de longe a mais fraquinha. Mas como Meu Chapéu adora música, acabou entrando no espírito do filme, e saiu cantarolando “será, só imaginação…”

Somos Tão Jovens
Elenco: Thiago Mendonça, Sandra Corveloni, Marcos Breda, Laila Zaid, Bianca Comparato, Olivia Torres - Direção: Antonio Carlos de Fontoura - Roteiro: Marcos Bernstein

Postado por Lee Swain às 2:14 | Nenhum comentário
1
 abr
Frase do dia
Chapéu do pensamento

Postado por Lee Swain às 1:10 | 1 comentário
1
 abr
Futebol
Presente de Páscoa

Pergunte a um corintiano roxo, como o Meu Chapéu por exemplo, o que pode ser  mais gostoso que ganhar do São Paulo em pleno Morumbi. Resposta: ganhar de virada.

Com apenas 5 minutos de jogo, o São Paulo marcava o seu único gol na partida. Gol bonito. Parecia que o tabu de seis anos sem perder para os donos da casa no seu estádio seria quebrado na tarde de ontem. Não foi fácil para a defesa corintiana conter a disposição tricolor.

Só no segundo tempo é que o canhoteiro Danilo, de fora da área, encheu a direita e acertou um torpedo no ângulo, sem chance para Rogério Ceni. O mesmo Rogério logo mais acabaria comentendo pênalti em Alexandre Pato, que cobrou com categoria e fechou o placar, para a alegria do Meu Chapéu e da fiel no Morumbi.

Postado por Lee Swain às 1:07 | Nenhum comentário
1
 abr
Face Book
Do facebook do Nelson

Que o Feliciano não nos ouça…

Postado por Lee Swain às 1:05 | 1 comentário
30
 mar
Datas
Páscoa de chapéuzinho

Aos católicos, apostólicos, crentes, tementes, ateus, descrentes, palmeirenses, corintianos, argentinos, a todos o Meu Chapéu deseja uma Páscoa plena de renovação.

Postado por Lee Swain às 12:48 | 1 comentário
14
 mar
Atualidades, Do chapéu, Gente
Um novo Chapéu no Vaticano

Meu Chapéu saúda o novo Papa, e espera que Francisco tenha escolhido um chapéu sábio para ajudá-lo a ver e ouvir o que o mundo espera dele. Avanti, Cappello, avanti Francisco.

Postado por Lee Swain às 11:24 | Nenhum comentário
9
 mar
Frase do dia
Chapéu do pensamento

Postado por Lee Swain às 2:42 | Nenhum comentário
9
 mar
Livros
Chapéu pra todo lado

Rui Werneck de Capistrano, publicitário e escritor parananense, autor de “Nem Bobo Nem Nada”, acaba de lançar mais um livro pelo Clube dos Autores. Trata-se de “A Louca Revoada de Chapéus”,  coletânea de contos abordando – e transbordando – temas tão diversos como espaço sideral, sexo, desemprego, invenções, viagens, morte, vida, consumo, leituras, partículas do espaço, loucura, futebol, olimpíadas, Drácula, literatura, escritores, Frankeinstein, velhice, Jerry Seinfeld, guarda-chuvas, sequestro, detetive, cachorro, caos, cinema, maldições, xadrez, chapéus, chapéus, chapéus… e mais chapéus.

Tudo regado a humor e bom humor. Para ler na praia, na repartição, no sofá, no congestionamento, na casa de campo, durante um jogo de futebol bem chato e até no ônibus.

Uma batelada de contos que fariam inveja a Checov, se ele fosse invejoso. Segundo fontes bem informadas, ele só ficou com inveja de um conto escrito por Kunt Hansum. Para quem escreveu 300 num ano, como o escritor russo, é merreca.

Mergulhe de cabeça na leitura. Pode tirar o chapéu antes, pois vai encontrar outro do seu tamanho nesse livro.É só entrar no site do Clube dos Autores e encomendar o seu.

Postado por Lee Swain às 2:38 | Nenhum comentário
9
 mar
Amigos, Gente, Tunel do tempo
Parece que foi ontem

Depois de quase um século, reencontrei a jornalista Antonia Chagas, a Tonica, amiga que cruzei em uma das melhores escolas públicas que este país jamais conheceu, o Colégio Estadual do Paraná. Tonica, que hoje mora em Nova York, era uma garota revolucionária, que pintava, bordava, fazia teatro, cantava no coral da escola e arrepiava com seu escandaloso (para a época) cabelão black power. No Bar Balcão, na última terça feira.

Postado por Lee Swain às 2:16 | 2 comentários
26
 fev
Frase do dia, Pensamentos
Chapéu do pensamento

Postado por Lee Swain às 13:36 | Nenhum comentário
26
 fev
Atualidades, Cinema, Tecnologia
As Aventuras do Meu Chapéu

Confesso que foi com um pé atras que levei Meu Chapéu assistir o último filme de Ang Lee. Muitos comentários  criticavam o excesso de efeitos especiais, e fiquei imaginando uma salada completa de computação gráfica. Na dúvida entre ir ou não assisitir o filme, consultei Meu Chapéu e ouvi o seguinte conselho: “cinema se vê com os olhos, não com os ouvidos”.

Sábio este Meu Chapéu. Cinco minutos depois de começar a sessão, fomos tragados de corpo e alma pelas aventuras do garoto indiano que acaba em alto mar com um tigre e outros bichinhos nada amigáveis em um bote salva vidas.

Bem, não vou aqui contar o filme. Quem assistiu que tire suas conclusões, quem não viu, não perca tempo. O fato é que saímos do cinema encantados pela história absurdamente fantástica de Pi, que só foi possível realizar com muito recurso tecnológico, é verdade. Mas alguém alguma vez questionou com que tintas Leonardo da Vinci pintou a Mona Lisa? Seria seu sofisiticado pincel de pelos de lontra responsável pelo sorriso enigmático da Gioconda? O gênio do artista está no saber manipular os intrumentos à sua disposição, e não na ferramenta em si. Quanta bobagem não foi feita com ou sem tecnologia?

Quando Ang Lee subiu ao palco para receber o Oscar de melhor diretor, Meu Chapéu não conteve a alegria pelo reconhecimento à obra do realizador de sonhos chines. Porque cinema é magia. E nesta praia, Ang Lee nada de braçada.

Postado por Lee Swain às 6:00 | 1 comentário
14
 jan
Frase do dia
Chapéu do pensamento

pensamentos de oscar wilde

Postado por Lee Swain às 0:10 | 1 comentário
14
 jan
Do chapéu
Tudo de novo

Chapéu Novo
Amigos do Meu Chapéu, começa um novo ano, e como reza a tradição desde a fundação deste blog, toma posse um novo Panamá. Como nos filmes de James Bond, de tanto em tanto muda o ator, mas o personagem continua inalterado.

Com fibras novas, faixa preta e aba curta, Meu Novo Chapéu assumiu seu papel confortávelmente, caindo (perdão) como uma luva na cabeça deste que vos fala. A legião dos antigos chapéus que bravamente representaram este blog nos últimos anos se perfilou por ocasião da cerimônia de passagem do cargo ao novo eleito. É o ciclo inexorável da vida que solicita renovação para sobreviver.

Embora tenha cumprido seu papel com muita elegância, o mandato do último chapéu não foi dos mais festejados, temos que reconhecer. Recebeu críticas de muitos leitores fiéis pela falta de ritmo na publicação de posts e matérias. Uma parte desta atuação discreta se explica pelo seu envolvimento em campanhas políticas, bem sucedidas por sinal. Mas a sensação é que ficou devendo em relação aos antecessores. Esperamos todos que o novo Panamá corresponda às expectativas colocadas sobre suas abas em 2013. Voilá!

Postado por Lee Swain às 0:05 | Nenhum comentário
29
 dez
Datas, Do chapéu
Ano Novo à Vista!

Postado por Lee Swain às 19:21 | 3 comentários
19
 dez
Frase do dia
Chapéu do pensamento

Postado por Lee Swain às 8:34 | 1 comentário
19
 dez
Gente
Qual o segredo dela?

Semana passada, Meu Chapéu foi prestigiar o “cumpleaño” de Luciana Vendramini no ponto mais alto da cidade, o Bar do Terraço Itália.

Muita gente quis saber do Meu Chapéu quantos anos Luciana estava comemorando. Mesmo que soubesse, ele não cometeria tamanha indiscrição. Mas uma coisa é certa: o tempo não passa para a atriz e empresária de Jaú. Qual o segredo da sua juventude? Segundo ela mesma, muito trabalho. Luciana não para. Meu Chapéu ficou sabendo que em breve será exibida pelo Grupo Turner uma série inédita assinada por ela e produzida pela Mocho, produtora da qual é sócia. Meu Chapéu não pode revelar mais detalhes, o projeto ainda é secreto. Mas Luciana garantiu que a notícia sairá com exclusividade no Blog do Chapéu. Vamos esperar. Fotos: Juliana Lira

Postado por Lee Swain às 8:20 | 2 comentários
17
 dez
Futebol
Um time de outro planeta

Como explicar 40.000 torcedores atravessando o planeta pra ver seu time disputar um campeonato do outro lado do mundo? Gente se desfazendo de seus bens,  largando família, emprego, namorada, e o escambau? Que força move esta massa, sem limites de fronteira, cor ou credo? Se o universo é inexplicável, o que dizer  deste fenômeno que contagia pessoas tidas como normais e as transforma quase em E.T’s? Afinal, O que faz de um ser humano um corintiano?

Postado por Lee Swain às 9:32 | Nenhum comentário
12
 dez
Futebol
Só emoção no Japão

Coração na mão até o último segundo. Começo nervoso, final mais ainda. A estréia corintiana no Japão não poderia ser diferente. Timão sem emoção não tem graça. Dá-lhe, fiel, até domingo para mais uma manhã de muito sofrimento.

Postado por Lee Swain às 9:24 | 1 comentário
7
 dez
Arquitetura, Gente
Homenagem de Chico a Niemeyer

“A casa do Oscar era o sonho da família. Havia um terreno para os lados da Iguatemi, havia o anteprojeto, presente do próprio, havia a promessa de que um belo dia iríamos morar na casa do Oscar. Cresci cheio de impaciência porque meu pai, embora fosse dono do Museu do Ipiranga, nunca juntava dinheiro para construir a casa do Oscar. Mais tarde, num aperto, em vez de vender o museu com os cacarecos dentro, papai vendeu o terreno da Iguatemi. Desse modo a casa do Oscar, antes de existir, foi demolida. Ou ficou intacta, suspensa no ar, como a casa no beco de Manuel Bandeira.

Senti-me traído, tornei-me um rebelde, insultei meu pai, ergui o braço contra minha mãe e saí batendo a porta da nossa casa velha e normanda: só volto para casa quando for a casa do Oscar! Pois bem, internaram-me num ginásio em Cataguases, projeto do Oscar. Vivi seis meses naquele casarão do Oscar, achei pouco, decidi-me a ser Oscar eu mesmo. Regressei a São Paulo, estudei geometria descritiva, passei no vestibular e fui o pior aluno da classe. Mas ao professor de topografia, que me reprovou no exame oral, respondi calado: lá em casa tenho um canudo com a casa do Oscar.

Depois larguei a arquitetura e virei aprendiz de Tom Jobim. Quando minha música sai boa, penso que parece música do Tom Jobim. Música do Tom, na minha cabeça, é casa do Oscar.”

Chico Buarque

Postado por Lee Swain às 16:06 | Nenhum comentário
26
 nov
Frase do dia
Chapéu do pensamento

Postado por Lee Swain às 8:15 | 3 comentários
26
 nov
Esporte, Fórmula 1
Emoções fortes

A Fórmula 1 de 2012 teve uma das decisões mais emocionantes do século no autódromo de Interlagos. Na pista, Fernando Alonso mostrou que corre sangue de toureiro nas suas veias, mas quem levou o campeonato pela terceira vez foi o talento indiscutível de Vettel. Ao nosso Felipe restou se acabar em lágrimas no podium em frente a uma multidão ensopada, enquanto o aposentado Michael Schumacher se acabou mesmo foi na noite paulistana.

Postado por Lee Swain às 8:10 | Nenhum comentário
Páginas:12345...102030...Última »

Busca
Quem está
de olho no
meu blog

Eu e Meu Chapéu © 2010 - Desenvolvido por: George Macêdo